Ainda temos tempo, 2 meses, antes de voltar a trabalhar, mas já estou aqui pensando em berçários, como ficará nossa rotina, em armazenar leite para a Alice mamar quando eu não estiver por perto, em começar a amamentá-la também com a mamadeira, essas coisas.

Antes de ficar grávida, ser mãe em tempo integral era algo que eu cogitava. Porém, durante a gravidez, comecei a suspeitar que essa não era a minha. Após o nascimento da Alice, por mais que eu adore a nossa batatinha, tive certeza que essa não era a minha, meeeesmo. Curto demais a filhota, mas eu preciso de gente, preciso conviver com outras pessoas, sair de casa. E, o mais chocante de tudo, eu gosto de trabalhar. Por mais que role stress, canseira, etc, eu gosto dos projetos que toco.

E nos últimos dias outro pensamento tem rondado a minha cabeça: voltar a estudar. Não sei como, na verdade, mas estou muito a fim de retomar a faculdade que deixei trancada no início do ano.

Mais uma vez, me identifiquei com os posts da Bianca:

Apesar de precisar do dinheiro gerado pelo meu trabalho, ele nem é o principal motivo pra escolher não me dedicar integralmente ao Lucas. Nos primeiros meses, quase enlouqueço entre fraldas e mamadas. Por algum motivo que meu consciente desconhece me sentia vazia sem o trabalho. Agora eu era mãe, mas não queria deixar de ser profissional. Queria capa de super-heroína, então, pra ser super-tudo? Teria cedido à nova pressão machista de que a mulher precisa fazer tudo, e muito bem? Talvez. O fato é que adoraria inventar uma maneira de tocar trabalho e mestrado sem terceirizar os cuidados com o Lucas. (daqui)

Eu sei que não quero capa nem nada, só queria conseguir conciliar todos esses quereres, sem culpa, sem achar que estou em falta com algo. Ser mãe, ter o meu trabalho e continuar a estudar. Só não sei que mágica vou fazer para tudo isso acontecer :P