papai!

Tem um texto mega-fofo no livro das Motherns que diz assim:

“Eu não posso dizer que ele me ajuda.
Ele deu o primeiro banho.
E também o segundo, o terceiro e o quarto.
O quinto, talvez eu tenha dado. (Ele me ensinou o que eu tinha que fazer.)
Nos primeiros dias, quando aquela trouxinha minúscula acordava chorando nas madrugadas, ele trazia para mim. O peito era meu, mas o resto do serviço era todinho dele: carregava, trazia, trocava, segurava para que arrotasse e a acalmava para que voltasse a dormir.

(….)

Ele preparava o leite de cereais que complementava o meu.
Ele preparava as papinhas.
Ele a levava para tomar solzinho na rua.
Ele foi comigo levá-la ao seu primeiro dia na escola.
Ele vai com ela ao médico e se encarrega de fazer com que os remédios sejam tomados na dose e nos horários certos.
Realmente, eu não posso dizer que ele me ajuda.
Lá em casa, quem “ajuda” sou eu.”

(Mothern – manual da mãe moderna)

Sortudas nós, que temos esses maridos/papais que “não” ajudam :)